Temporal inunda a cidade

Parte do cemitério desabou com as chuvas. Fotos: Paulo Lulo.

A chuva, provocada por uma frente fria, no Estado do Rio de Janeiro, considerada a mais forte nos últimos 40 anos, trouxe enormes prejuízos para os desabrigados em vários bairros da cidade que ficaram totalmente alagados. A Lagoa de Saquarema transbordou e parte do histórico cemitério, no morro da igreja de Nossa Senhora de Nazareth, no Centro de Saquarema, desmoronou, arrastando caixões e restos mortais. A prefeita Franciane Motta decretou estado de emergência. Não houve aulas. Reunido com os prefeitos dos municípios mais inundados, entre eles Saquarema, o governador Sérgio Cabral prometeu uma ajuda imediata.

O rescaldo da enchente

O bairro de Vilatur invadido pelas águas da chuva. Foto gentilmente cedida por Jorge Stockler.

O bairro de Vilatur invadido pelas águas da chuva. Foto gentilmente cedida por Jorge Stockler.

As chuvas que caíram sobre Saquarema em abril, atingiram 90% do município. Segundo a Defesa Civil, os desabrigados foram atendidos em abrigos montados em Cieps, igrejas e escolas. A prefeita Franciane Motta decretou estado de emergência e as escolas do município tiveram as aulas suspensas.

A chuva atingiu vários bairros entre eles Bonsucesso, São Geraldo, Verde Vale, Vilatur, Boqueirão, Barra Nova, Jaconé e outros na periferia da cidade. Com a permanência da chuva e uma grande ressaca no mar, as margens da Lagoa de Saquarema foram alagadas e só depois de vários dias a água começou a ceder, provocando enorme prejuízo para os moradores da orla, principalmente no Centro de Saquarema. A água desceu dos rios e serras e encontrou a maré alta da ressaca, dificultando o escoamento das águas. As vítimas contaram com o apoio logístico das secretarias de Promoção Social, Saúde, Serviços Públicos e Educação. Dezenas de pessoas colaboraram, doando roupas, colchonetes, cobertores e alimentos não perecíveis. O trabalho conjunto da população, em parceria com a Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros e a Prefeitura foi eficaz. Em entrevista na rádio Serramar, a prefeita Franciane Motta destacou a necessidade de todos estarem unidos para minimizar o sofrimento dos mais atingidos.

O governador Sérgio Cabral reuniu-se com os prefeitos das cidades atingidas pelo temporal, entre eles Franciane Motta, de Saquarema, para definir a ajuda do Governo do Estado às Prefeituras Municipais. Parte do cemitério municipal, ao lado da Igreja de Nossa Senhora de Nazareth, verdadeiro cartão postal da cidade, desmoronou, arrastando sepulturas, ossadas e corpos pela encosta, atingindo o quintal de uma casa situada no morro. Todos os restos mortais foram resgatados, identificados e sepultados no cemitério municipal de Sampaio Corrêa. A prefeitura fez o levantamento dos problemas de infraestrutura do cemitério, para início das obras de construção de um novo muro de contenção da encosta.

Capa O Saquá 120

.

Matéria publicada na edição de maio
de 2010 do jornal O Saquá (edição 120)

Compartilhe!

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.