O retorno do vereador Kinho à Câmara Municipal

Após ganhar por 5 x 1 um processo no Tribunal Regional Eleitoral, Kinho assumiu mais um mandato como vereador. Foto: Edimilson Soares.

Depois de uma vitória de 5 x 1 no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), num processo que ficou conhecido como “Queima do Alho”, o vereador Paulo Henrique de Jesus (Kinho) assumiu o seu terceiro mandato na Câmara Municipal de Saquarema. O processo da “Queima do Alho”, movido pela coligação encabeçada pela prefeita Franciane Motta, acusava a coligação liderada pelo ex-prefeito Dalton Borges de compra de votos, o que não ficou comprovado, mas fez com que não fossem computados os votos de vários candidatos a vereadores que, depois de absolvidos, passaram a ter seus votos computados pela Justiça Eleitoral, possibilitando a eleição de mais um vereador do PRB.

Eleito com 852 votos, ficando em 3º lugar entre os mais votados do PRB e o 10º mais votado no ranking geral dos vereadores, aos 35 anos de idade, Kinho retornou ao Poder Legislativo depois de um período de 9 meses, quando sua cadeira foi ocupada pelo empresário Sarita. Como quem dá a volta por cima e com fama de vencedor, Kinho começa a entrevista fazendo agradecimentos.

“Quero agradecer a minha família, a meus pais Haroldo e Nazaré, meus irmãos Ana Paula, Paulo César e André, cunhados Célia Regina e João Ricardo, sobrinhos Diego e Diogo; ao Dr. Vinícius Cordeiro, presidente do PT do B do Rio de Janeiro, que me defendeu no TRE; aos irmãos evangélicos e a todos os meus amigos e eleitores. Mas, em primeiro lugar, quero agradecer a Jesus Cristo”, declara Kinho em seu gabinete nas novas instalações da Câmara em frente à Prefeitura. Com o rádio ligado no programa do ex-governador Garotinho, na Rádio Melodia, e fotos dos filhos Caio e Pierre sobre a mesa, Kinho destaca alguns de seus projetos que já começam a tramitar nas sessões plenárias. E faz um resumo do que pretende fazer no atual mandato.

“Vou continuar investindo no esporte, pois Saquarema tem possibilidades de produzir atletas. E estou apresentando o projeto Café do Trabalhador, que consiste em oferecer uma refeição digna a todo trabalhador por 1 real ou até 50 centavos. Além de ser uma política social é um incentivo à agricultura familiar, pois as frutas serão compradas no município. E também vou lutar para criar um espaço para grandes eventos religiosos evangélicos ou católicos; um Parque de Exposições”, explica o vereador. Confiante em seu futuro, Kinho é a face da perseverança e da certeza de que a justiça chegou em boa hora. Hora de olhar para a frente, arregaçar as mangas e trabalhar.

“Pode falhar o homem, mas Deus é fiel”, conclui Kinho.

 

Capinha O Saquá 114Matéria publicada na edição de novembro
de 2009 do jornal O Saquá (edição 114)

Compartilhe!

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.