O ídolo Juceir Júnior

Você já imaginou disputar com 37 mil candidatos de todo o Brasil, sendo 11 mil do Rio de Janeiro, e ficar entre os primeiros 100 colocados? Depois, ser classificado entre os 14 do estado? E, finalmente, ser selecionado para ficar entre os 88 candidatos escolhidos em todo o país para se apresentar ao vivo e a cores na telinha da TV? Este foi o caminho percorrido pelo jovem Juceir Júnior que participou do programa Ídolos, da Rede Record.

“São 3 etapas no teatro em São Paulo, antes de ir para a TV”, conta Juceir. “Na primeira etapa eu tive que cantar à capela (sem acompanhamento instrumental). Na segunda etapa todos os candidatos cantaram em quarteto e só na terceira etapa é que cada um cantou individualmente. Foram então selecionados 12 homens e 12 mulheres”, explica o jovem ídolo, que acabou indo para a semifinal do concurso, tendo participado do programa ao vivo até ser eliminado.

Eliminado na telinha da TV, sim, mas não no gosto do público que o acompanha até hoje, depois dessa maratona de 6 meses entre Rio e São Paulo. De volta a sua casa, em Saquarema, Juceir agora tem que administrar seu tempo, entre as apresentações em shows, as gravações num estúdio em Iguaba Grande, as entrevistas nas rádios locais e o fã clube no Orkut, onde as “Jujuzetes” não o deixam sossegar nem por um momento.

Aos 19 anos, músico profissional e estudante de administração de empresa, matriculado na faculdade Estácio de Sá, no campus de Cabo Frio, Juceir é filho e sobrinho de músicos e tem uma estrela. Convidado para participar do show de comemoração dos 20 anos do Lagos Supermercados, na Praça da Pontinha, em Araruama, foi ovacionado por um público de cerca de 30 mil pessoas, quando fez a abertura do show, só com voz e violão, antes da apresentação do grupo Molejo. Na saída, foi cercado por um grupo de meninas atrás de um autógrafo do ídolo.

Juceir também teve sorte de encontrar o produtor musical Nilson Júnior, empresário do grupo Filhos da Lua, que já está cuidando de sua carreira, e a jornalista Monique Barcellos, que cuida da sua divulgação. Influenciado por grandes nomes da música popular brasileira, como Djavan, Ana Carolina e Roupa Nova, começa a construir o seu repertório e o seu estilo. Ex-aluno do Colégio Washington Luís, onde fez suas primeiras apresentações, conta que o show que fez no Teatro Mário Lago, para captar recursos para suas viagens a São Paulo, teve todos os ingressos esgotados em 20 minutos! “E olha que ficou muita gente de fora”, lembra ele.

A cada dia que passa, Juceir vem recebendo mais convites para se apresentar no Rio, em Curitiba, em São Paulo. Assim, Juceir vai deixando a sua condição de ídolo na TV, para assumir a posição de ídolo na vida real.

Capinha O Saquá 114Matéria publicada na edição de novembro
de 2009 do jornal O Saquá (edição 114)

Compartilhe!

Sobre o autor

A equipe do jornal O Saquá é formada por diversos jornalistas.