A resposta alérgica ao látex

Enfermagem - Dr. Renato José dos Santos

Alguns profissionais da saúde têm alergia às luvas e outros componentes do látex. As mesmas luvas e materiais que realizam a proteção e salvam vidas podem ocasionar doenças alérgicas. A borracha de látex é um produto que está presente no nosso dia a dia e entra na composição de produtos que usamos constantemente: garrotes, luvas, borrachas de aspiração e nebulização, drenos, jelcos, frascos ampolas, vacutainer (tubos coletores de sangue), estetoscópio, sondas vesicais e outros. É um espanto a quantidade de látex que está ao nosso redor! Resumindo, os produtos de látex têm um lugar fundamental na prestação diária dos cuidados do serviço de saúde.

Ao pesquisar os produtos de látex, descobri fatores que podem ocasionar processos alérgicos. O látex é um liquido leitoso produzido pelas árvores de borracha (Havea Brasiliensis) e, durante o processo de fabricação de produtos do látex, são adicionados produtos químicos, com finalidade de aumentar a velocidade de secagem (vulcanização) e para proteger a borracha do oxigênio do ar.

Existem dois tipos de reações alérgicas ao látex: a dermatite de contato, que aparece de 12 a 36 horas após o contato com o produto de látex. Geralmente ocorre nas mãos de pessoas que usam luvas de látex, mas pode aparecer também em outras partes do corpo que entram em contato com os produtos de borracha. A dermatite de contato é geralmente resultado de sensibilizações aos produtos químicos que são adicionados no processamento da borracha. Ainda que muito irritante esta forma de alergia não causa risco de vida. O segundo tipo é de efeito imediato e é a forma mais séria de reações alérgicas ao látex. Semelhantemente a outras alergias, esta reação ocorre nas pessoas que foram previamente expostas ao látex e se tornaram sensibilizadas. Com a exposição, sintomas tais como coceira, vermelhidão, inchaço, espirros e respiração ofegante podem ocorrer. Esta severa reação alérgica é chamada de anafilaxia e é caracterizada por sintomas como choque, problemas respiratórios ou queda de pressão sangüínea (hipotensão). Se a pessoa não for tratada imediatamente, o quadro pode ser fatal.

O látex também pode ser transportado no ar e causar sintomas respiratórios. As proteínas de látex podem aderir ao talco de amido de milho usado em alguns tipos de luvas e, ao manipular as luvas, podem entrar em contato com o nariz ou olhos, desencadeando o processo alérgico. Portanto, no caso de qualquer sintoma, procure um especialista. Além disso, há luvas sintéticas de vinil ou nitrila que podem ser usadas sem problemas pelas pessoas alérgicas ao látex.

Artigo publicado na edição 113 do jornal O Saquá

Banner Dr Camilo

Banner Cosmo Fisioterapia

Compartilhe!

Sobre o autor

Renato José dos Santos é enfermeiro. E-mails: renatojsantos@uol.com.br e renatojsantos@petrobras.com.br.